Stevia Faz Mal? Contra Indicações e Efeitos Colaterais

Stevia Faz Mal? Contra Indicações e Efeitos Colaterais! Já pensou que 10 anos atrás não existiram perguntas assim no google? Pois é, a inclusão digital cresceu muito e com ela veio muita informação, principalmente na área da saúde, a geração antiga na sua maior parte foi criada com produtos simples, mas se tratando nesse artigo sobre o açúcar, nunca nem imaginamos que existiam alternativas ao açúcar refinado.

Com a tecnologia e a facilidade da informações e as pessoas estão cuidando cada vez mais da saúde e assim descobriram a Stévia, uma planta com baixas calorias, ótimo para diabéticos e 100% natural. Hoje ela é usada para diversos tratamentos de saúde, principalmente para diabéticos.

O que é Stevia?

A Stévia é talvez única entre os ingredientes alimentares porque é mais valorizada pelo que não faz. Não adiciona calorias. Ao contrário de outros substitutos do açúcar, a Stévia é derivada de uma planta.

A planta Stévia faz parte da família Asteraceae, relacionada com a margarida e a artemísia. Várias espécies de stevia chamadas candyleaf são nativas do Novo México, Arizona e Texas.

Mas a espécie premiada, Stevia rebaudiana (Bertoni), cresce no Paraguai e no Brasil, onde as pessoas usam folhas do mato de Stévia para adoçar a comida por centenas de anos.

Moises Santiago Bertoni, um botânico italiano, é frequentemente creditado com a descoberta da Stévia no final do século XIX, apesar de o povo Guarani nativo ter usado por séculos. Conhecida como kaa-he (ou erva doce) pela população nativa, as folhas da planta tinham muitos usos. Na medicina tradicional nessas regiões, a stévia servia como tratamento para queimaduras, cólica, problemas estomacais e às vezes como contraceptivo. As folhas também foram mastigadas por conta própria como um deleite doce.

Bertoni levou mais de uma década para encontrar a planta real, o que o levou a descrever inicialmente a planta como muito rara. Mais ou menos na mesma época, mais fazendas começaram a crescer e a colher a planta stévia. Stevia rapidamente passou de crescer na natureza em certas áreas para ser uma erva amplamente disponível.

Substituto do açúcar

Hoje, a Stévia faz parte do mercado substituto do açúcar.

O Departamento de Agricultura dos EUA estima que os americanos adicionaram mais açúcar à sua dieta todos os anos desde a década de 1970 até 2000. Quando os americanos deixaram cair o açúcar adicionado, eles se voltaram para extratos de açúcar. O mercado substituto do açúcar foi estimado em 13,26 bilhões de dólares em 2015, de acordo com uma análise da firma de pesquisa Markets and Markets.

Apenas 18% dos adultos dos EUA usaram adoçantes com baixas ou sem calorias em 2000. Agora, 24% dos adultos e 12% das crianças usam os substitutos do açúcar.

A Stévia funciona?

A Stévia não tem calorias e é 200 vezes mais doce que o açúcar na mesma concentração. Outros estudos sugerem que a Stévia pode ter benefícios extras para a saúde.

De acordo com um artigo de 2017 no Journal of Medicinal Food, a Stévia tem potencial para tratar doenças endócrinas, como obesidade, diabetes e hipertensão.

Outros estudos também sugerem que a Stévia pode beneficiar pessoas com diabetes tipo 2, mas Catherine Ulbricht, farmacêutica sênior do Massachusetts General Hospital em Boston e co-fundadora da Natural Standard Research Collaboration, diz que mais pesquisas são necessárias. Seu grupo analisa evidências sobre ervas e suplementos.

“A pesquisa disponível é promissora para o uso da stévia na hipertensão”, Ulbricht disse que o Natural Standard deu à stévia um “grau B para eficácia” na redução da pressão arterial.

Uma fonte de doçura sem calorias é uma solução óbvia de dieta em teoria. Mas alguns estudos mostram que a substituição de açúcar por adoçantes artificiais ou de baixa caloria pode não levar à perda de peso na vida real.

Um estudo de 2004 em ratos encontrou adoçantes de baixa caloria levou os animais a comer demais, possivelmente por causa de um descompasso entre a doçura percebida e as calorias esperadas do açúcar, de acordo com o artigo no International Journal of Obesity and Related Metabolic Disorders. O autor do estudo mais tarde argumentou que as pessoas que usam adoçantes artificiais podem sofrer problemas de saúde associados ao excesso de açúcar, incluindo a síndrome metabólica, que pode ser um precursor do diabetes.

“Uma série de estudos sugere que as pessoas que consomem regularmente ASB [bebidas adoçadas artificialmente] estão em maior risco em comparação com aqueles que não consomem ASB”, disse Susan E. Swithers em uma carta de opinião de 2013 na revista Trends in Endocrinology and Metabolism. .

No entanto, há também evidências de que a Stévia não faz nada para mudar hábitos alimentares ou prejudicar o metabolismo a curto prazo. Um estudo de 2010 na revista Appetite testou vários adoçantes artificiais contra o açúcar e uns aos outros em 19 pessoas magras e 12 pessoas obesas.

O estudo descobriu que as pessoas não comem demais depois de consumirem uma refeição feita com stévia em vez de açúcar. O nível de açúcar no sangue era menor depois de uma refeição feita com stévia do que depois de comer uma refeição com açúcar, e comer comida com stévia resultava em níveis mais baixos de insulina do que comer sacarose e aspartame.

Stevia Faz mal?

Essa é uma dúvida frequente dos meus pacientes. Digo sempre que é um produto intermediário entre o uso do açúcar e ficar sem nada, in natura. A stevia é um adoçante feito a partir de uma planta nativa da América do Sul.

É seu processo de produção que vai definir se há mais benefícios ou malefícios para a saúde. Quanto mais próximo do natural, mais a planta oferece benefícios à saúde, como por exemplo a inibição de fatores que causam diabetes, obesidade e problemas no coração.

Vale ressaltar que consumir qualquer coisa em exagero traz malefícios à saúde e com a stevia não é diferente. A recomendação é consultar um nutricionista sempre.

Abraço a todos!

Veja Também:

Fontes e Referências:

Texto adaptado de Live Cience e Nutricionista Vitor Perna

Summary
Review Date
Reviewed Item
Stevia
Author Rating
51star1star1star1star1star

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Seja o primeiro a comentar!