Quer secar a barriga? Não consuma Trigo, Saiba Toda a Verdade

Comer muito trigo pode ser um fator de risco que causa gordura abdominal, acne, problemas nas articulações e artrite, doenças intestinais e refluxo ácido, desejos, comportamentos de dependência, aumento do consumo total de calorias, diabetes, doenças cardíacas, envelhecimento acelerado, e doenças auto-imunes.

Uma coisa que você deve saber sobre mim é que eu quero continuar a aprender sobre nutrição e fitness, e passar essas informações para você, meu leitor. Eu sinto que, independentemente de quanto nós já tenhamos estudado ao longo dos anos, sempre há coisas novas a aprender para ajudar a melhorar a saúde e ter uma maior qualidade de vida.

Eu percebi que isso é a pura verdade em um novo livro que eu estou lendo agora, chamado “Barriga de trigo” do Dr. William Davis. Há muitas pedras preciosas no interior deste livro que eu vou estar compartilhando com vocês nas próximas semanas.

Há muito o que discutir sobre esse assunto, então eu quero começar com apenas alguns dos pontos mais importantes do livro.

Este é um tema que você deve prestar muita atenção, o trigo é uma das maiores fontes de calorias na dieta média de uma pessoa (junto com o milho e a soja, que são igualmente ruins).

Os americanos comem em média cerca de 60 quilos de trigo por ano, e pode incluir os bebês nessa média, ou seja, um adulto come em média bem mais de 68 quilos de trigo por ano.

A maioria das pessoas come trigo em todas as refeições, roscas, muffins ou cereal no café da manhã. Um sanduíche no almoço, bolachas, biscoitos e outros petiscos à base de trigo durante todo o dia, pão no jantar e talvez até mesmo um pedaço de bolo ou brownies para a sobremesa. Sim, um dia na vida de um consumidor médio faz a maioria de nós parecer “trigo-maníacos”.

Em primeiro lugar, como você sabe, eu falei muito em boletins anteriores sobre o porquê de eu acreditar que os grãos em geral, em particular o trigo, não deve ser uma grande parte da sua dieta como recomenda as diretrizes do governo.

Nós vamos falar sobre os efeitos negativos dos anti-nutrientes – compostos em muitos grãos que impedem alguns nutrientes/minerais sejam absorvidos em seu corpo, levando a possíveis deficiências de alguns nutrientes se você comer grãos na maioria das refeições.

Também falaremos sobre os possíveis efeitos negativos do glúten não só sobre os celíacos, mas uma grande porcentragem da população pode apresentar inflamações intestinais crônicas por excesso de glúten, com muita frequência.

E vamos falar também sobre os aspectos negativos de muitos grãos em relação ao açúcar no sangue, a densidade calórica dos grãos, e os desafios de controle de peso que os alimentos à base de grãos podem lhe dar, se você não for um atleta super-ativo.

De toda a minha pesquisa, eu vejo grãos em uma escala como esta:

  • Farinha de aveia e arroz – Não são os alimentos ideais, mas não são tão terríveis (se você for muito ativo)
  • Trigo e milho –Absolutamente não são saudáveis (independentemente do seu nível de atividade)
  • Com muitos outros grãos, a situação fica no meio do caminho.E tudo depende dos diferentes anti-nutrientes que cada um contém, além do glúten, e se eles são geneticamente modificados.

Em geral, há mais aspectos negativos no trigo e no milho do que no arroz e na aveia. Vamos discutir tudo isso com mais detalhes em boletins futuros.

10 Motivos para você reduzir o Trigo na sua Dieta:

1. O trigo que comemos hoje é muito diferente bioquimicamente do trigo de 50 anos atrás:

Em primeiro lugar, o Dr. Davis atravessa a história do trigo na dieta humana, que remonta a cerca de 10.000 anos atrás. Ele explica que o tipo de trigo que era comido há 1000 anos atrás, não é bioquimicamente o mesmo trigo que estamos comendo hoje. E, de fato, até mesmo o trigo que nossos avós comiam, a 50 anos atrás é muito diferente bioquimicamente do trigo que é usado atualmente. Isso ocorre porque o trigo foi fortemente hibridizado ao longo dos anos para aumentar o rendimento das culturas agrículas e melhorar certas características de cozimento e gosto.

O Dr. Davis afirma: “Pequenas mudanças na estrutura da proteína do trigo podem significar a diferença entre uma resposta imune devastadora para a proteína do trigo versus nenhuma resposta imune.

A mensagem que devemos levar para nós mesmos é: o trigo de hoje é muito diferente do trigo de 50 anos atrás, pois ele hoje tem diferentes níveis de anti-nutrientes e glúten com várias diferenças bioquímicas.

Essencialmente, a agricultura tem hibridizado fortemente o trigo nas últimas cinco décadas para melhorar certos aspectos, tais como o rendimento das culturas e características de cozimento, mas nunca se pensou sobre os impactos de alterar a estrutura bioquímica do trigo para a saúde humana.

Dr. Davis aponta isso com esta passagem: “proteínas de trigo, o glúten em particular, são submetidos a uma mudança estrutural considerável com a hibridização. Em um experimento de hibridização, 14 novas proteínas de glúten foram identificados na prole, que não estavam presentes em nenhuma das plantas de trigo originais.” Isso significa que o trigo moderno contém novas proteínas de glúten, “estrangeiras” que o sistema digestivo humano não se adaptou para digerir corretamente.

Por causa de tudo isso, a doença celíaca, uma doença auto-imune que causa intolerância completa ao glúten, aumentou 4 vezes nos últimos 50 anos. Dr. Davis acredita que a sensibilidade ao glúten também aumentou em níveis semelhantes nos últimos 50 anos.

A mensagem é que, mesmo que você não tenha sido diagnosticado com doença celíaca ou sensibilidade ao glúten, isso não significa que a constante ingestão de glúten não esteja causando inflamação intestinal crônica e algum tipo de possível dano ao sistema digestivo a longo prazo, juntamente com outras possíveis doenças auto-imunes.

E lembre-se que a inflamação crônica do intestino também pode, eventualmente, levar ao câncer no decorrer da vida.

2. O trigo tem propriedades viciantes similares aos das drogas 

Dr. Davis tem um argumento muito convincente de que o trigo é viciante. O trigo contém compostos chamados “exorfinas” que têm um efeito no cérebro semelhante aos das drogas opiáceas. Isso explica porque as pessoas têm tanta dificuldade de abrir mão de seus amados pães, cereais, massas e bolos, isso é porque esses alimentos são viciantes.

Eu digo por experiência própria que se eu tiver macarrão para o jantar, eu vou repetir várias vezes por não conseguir parar de comer essas coisas. E depois de algumas horas, eu sentirei desejos por mais alimentos à base de carboidratos ou doces. Mas se eu dispensar o macarrão e só consumir carnes, legumes e saladas, encontro-me totalmente satisfeito depois do jantar, sem desejos horas mais tarde.

3. O trigo faz com que você consuma mais carboidratos

farinha de trigo

Possivelmente, devido à natureza aditiva dos produtos de trigo, e os desejos subsequentes por mais alimentos ricos em carboidratos, o Dr. Davis cita estudos em seu livro que mostram que os consumidores de trigo ingerem mais calorias no geral do que as pessoas em uma dieta livre de glúten. No estudo citado, foi mostrado que os consumidores de trigo têm uma ingestão calórica 14% maior que aqueles em uma dieta de alimentos sem glúten.

O Dr. Davis também observa: “Isso pode ser devido à falta de exorfinas, redução do ciclo de insulina-glicose que provoca a fome, ou algum outro fator, mas a eliminação de trigo reduz a ingestão diária de calorias de 350 a 400 calorias – sem restringir calorias, gorduras, carboidratos, ou o tamanho das porções“.

A mensagem: é muito mais fácil de controlar o seu consumo total de calorias evitando alimentos a base de trigo como por exemplo cereais, pães, bolos e massas (com a exceção de um dia por semana, se você não consegue cortar completamente o trigo).

4. O trigo aumenta o açúcar no sangue acima do nível máximo da tabela de açúcar

O tipo de carboidrato complexo que compreende o trigo é chamado de amilopectina A, que é um tipo de carboidrato único, assim que é digerido, já começa a afetar muito o açúcar no sangue mais do que a maioria das outras fontes de carboidratos.

O Dr. Davis cita estudos em seu livro que provam que o pão de trigo pode elevar o açúcar no sangue a um nível superior ao da tabela de nível de açúcar ideal para o ser humano, por causa da amilopectina A.

Dr. Davis afirma ainda: “Com exceção de algumas fibras, comer duas fatias de pão de trigo é quase a mesma coisa, e muitas vezes até pior do que beber uma lata de refrigerante adoçado com açúcar ou comer uma barra de doces com muito açúcar.

O Dr. Davis descreve o fato de que a amilopectina A, exclusivamente encontrada no trigo, aumenta o açúcar no sangue em um grau muito mais elevado do que a maioria das outras fontes de carboidratos, independentemente do fato de serem carboidratos simples ou “complexos”. Ele continua: Na verdade, o grau de processamento, a partir de um ponto de vista do açúcar no sangue, faz pouca diferença: trigo é trigo, com várias formas de processamento, ou sem tratamento, simples ou complexo, com alta ou baixa quantidade de fibras, todos os tipos geram altos níveis de açúcar no sangue”.

5. O consumo excessivo de trigo leva a gordura visceral no abdômen

Se você ainda não sabe a diferença, pode ler aqui o meu artigo sobre a diferença entre a gordura visceral e a gordura subcutânea.

Existem muitas causas para a gordura visceral no abdômen e o Dr. Davis não está tentando colocar a culpa totalmente no trigo, mas ele tenta mostrar que o trigo é um forte contribuinte para esta gordura.

Através da combinação dos problemas do aumento de açúcar no sangue e a dificuldade de processamento da insulina em seu corpo causados pelo trigo, a capacidade do mesmo aumentar automaticamente o consumo de calorias, bem como as características de inflamação do sistema digestivo por conta de alguns constituintes do trigo, incluindo o glúten, tudo isto leva a uma maior chance de desenvolver a gordura visceral em seu abdômen.

A gordura visceral é particularmente perigosa, uma vez que se acumula em seu intestino e em torno de seus órgãos, e continuamente libera moléculas inflamatórias em seu organismo. Nós comentamos antes sobre como o xarope de milho com alta quantidade de frutose e outros alimentos pouco nutritivos podem aumentar a gordura visceral, mas o Dr. Davis tem um forte argumento para explicar como o trigo também pode contribuir para o acúmulo de gordura visceral.

A mensagem: Elimine o trigo (com exceção de um dia por semana, se você absolutamente achar necessário), e você vai perder a barriga muito mais rápido.

6. Síndrome do Intestino Irritável (SII) e refluxo ácido podem estar ligados ao consumo de trigo

O Dr. Davis faz um bom discurso em seu livro mostrando as ligações entre o consumo de glúten, a SII e o refluxo ácido. Ele afirma: “Elimine o trigo e o refluxo ácido assim como os sintomas de SII irão melhorar. Infelizmente, isso ainda não foi divulgado, embora pesquisadores estejam especulando sobre o quão grande é o papel desempenhado pelo glúten em pacientes não-celíacos nos quadros de SII e refluxo ácido. “Dr. Davis também afirma que centenas de seus próprios pacientes têm visto alívio completo ou parcial do SII e do refluxo ácido com a remoção do glúten de suas dietas.

Se você tem SII ou refluxo ácido, deve considerar a remoção do trigo de sua dieta pelo menos por 2 a 3 semanas e ver se os sintomas desaparecem. Certamente não vai doer nada eliminar o trigo por algumas semanas (afinal, não há nada de “essencial” na ingestão dele), e ainda por cima, você vai perder um pouco de gordura corporal durante o processo.

7. Consumo de trigo leva ao envelhecimento precoce

Comer muitos produtos derivados de trigo, como pão, roscas, bolos, cereais e bolachas aumenta em seu corpo alguns processos chamados de glicação avançada de produtos finais.
Mas não é só o açúcar e o xarope de milho que causam esse problema, como já foi mencionado neste artigo, o principal amido vindo dos produtos de trigo é um amido chamado amilopectina A, que aumenta o açúcar no sangue de maneira significativa e bem acima do nível ideal.

Devido ao efeito do açúcar no sangue causado pelos produtos de trigo (sim, até mesmo o “trigo puro”), ele aumenta o processo de envelhecimento em seu corpo e contribui para o envelhecimento precoce e aparecimentos de rugas.

8. Excesso de trigo na dieta pode causar problemas de acne

Segundo o Dr. Davis, as espinhas (acne) afetam até 95% dos adolescentes entre 16 e 18 anos nas culturas ocidentais, e até mesmo 50% dos adultos com mais de 25 anos de idade, gerando crises intermitentes.

Mas o Dr. Davis fornece evidências de que a acne não é causada pela genética, mas, quase que totalmente, pela dieta. Ele discute como as culturas que dependem de uma dieta do tipo básica, ou alguma outra forma de dieta que não inclui trigo e açúcar, curiosamente são livres de acne (até as influências das dietas ocidentais aparecerem, claro).

O Dr. Davis fala sobre como a acne é quase universal em jovens norte-americanos, mas não ocorre de jeito algum em algumas outras culturas.

Ele afirma: “Algumas culturas não apresentam nada de acne. Culturas tão amplas como os Kitavan, de Papua-Nova Guiné; a Ache, caçadores do Paraguai; os nativos do Vale do Purus, no Brasil; Bantus e Zulus, tribos africanas; os habitantes de Okinawa no Japão, e os canadenses Inuit são curiosamente poupados do incômodo e constrangimento da acne.

O Dr. Davis, em seguida, cita uma pesquisa que mostra que uma vez que a influência ocidental introduziu o trigo, açúcar e outros alimentos processados nas dietas dos Okinawas, Inuits, e Zulus, a acne logo apareceu.

9. Consumo de trigo contribui para o risco de doença cardíaca

Outro capítulo interessante no livro “Barriga de Trigo” é aquele em que o Dr. Davis afirma que o consumo frequente de trigo aumenta o seu risco de doença cardíaca.

Como você já deve ter ouvido antes, as partículas de LDL no seu sangue podem ser divididas em: grandes tipos inchados de LDL (que não contribuem para a doença cardíaca) e pequenas partículas densas de LDL (que contribuem para o acúmulo de placas causando doenças cardíacas).

O Dr. Davis afirma: “Os alimentos que aumentam a glicose no sangue tem maiores quantidades das pequenas partículas de LDL e, como consequência, aumentam a glicação dessas pequenas partículas. Assim, doenças cardíacas e derrames não são apenas causados pelo colesterol alto, mas pela oxidação, glicação, inflamação e partículas pequenas de LDL. Sim, esses processos são desencadeados pelos carboidratos, especialmente aqueles feitos de trigo.

10. Comer trigo adiciona uma grande carga de ácido com que seu corpo deve aprender a lidar

O seu organismo é preparado para manter o ph de seu corpo em aproximadamente 7.4. Quais alimentos você consome que não contêm compostos acidificantes ou alcalinos. A dieta natural dos caçadores, por exemplo, é bem equilibrada com os compostos ácidos das carnes sendo facilmente combatidos com frutas, nozes e vegetais alcalinos. Mas quando você adiciona uma carga de ácido vinda dos grãos a essa equação, o equilíbrio ácidez-alcalinidade se desloca em direção ao ácido.

Quanto mais compostos acidificantes você comer ou beber (refrigerante, grãos, açúcar, por exemplo), mais o seu corpo precisa puxar compostos de cálcio para fora de seus ossos para conseguir regular o pH de seu corpo. Isto pode causar ossos fracos e osteoporose.

Segundo o Dr. Davis, grãos, como o trigo contam com uma média de 38% da carga de ácido de um americano comum. O Dr. Davis afirma que “mais ou menos 10.000 anos atrás, a dieta tinha um ph alcalino e passou a ser ácida com a introdução de grãos, especialmente o mais dominante deles, o trigo“.

A dieta humana moderna, abundante em “grãos saudáveis” mas carente de legumes e frutas, é altamente carregada de ácido, gerando uma condição chamada acidose. Ao longo dos anos, a acidose cobra seu preço sobre seus ossos.”

Dr. Davis também cita um estudo da Universidade de Toronto, que mostrou que o aumento da ingestão de glúten aumenta a perda de cálcio na urina em 63%, juntamente com o aumento do enfraquecimento ósseo. Assim, mesmo que você não seja oficialmente celíaco ou sensível a glúten, tem razões para considerar a redução ou eliminação de glúten e trigo de sua dieta.

11. Uma ligação entre o consumo de trigo e a degeneração articular, incluindo a artrite

O Dr. Davis também inclui um capítulo sobre como comer muito trigo ao longo dos anos está ligado a problemas e dor nas articulações, incluindo a artrite. O Dr. Davis afirma: “Quanto mais produtos de trigo você consome, mais aumenta a glicose no sangue e com uma frequência maior e, consequentemente, ocorre mais glicação. A glicação representa uma modificação irreversível das proteínas no sangue e nos tecidos do corpo, incluindo as articulações, como joelhos, quadris e mãos. A cartilagem nas articulações é singularmente suscetível à glicação, uma vez que as células da cartilagem são de longa duração e incapazes de se reproduzir“.

O Dr. Davis continua: “O dano da glicação é cumulativo, tornando a cartilagem frágil e inflexível, até que se quebre. Inflamação das articulações, dor e lesões são as marcas da artrite.

A mensagem: se você quiser articulações saudáveis para toda a vida (eu sei que eu ainda quero estar desfrutando de esqui e ciclismo de montanha, duas das minhas coisas favoritas na vida, nas próximas décadas), em seguida, o Dr. Davis constitui um forte argumento sobre a eliminação ou redução do trigo em sua dieta ser um passo importante para ajudar a proteger suas articulações à medida que você envelhece.

E se você já tem artrite, um ótimo teste é eliminar o trigo de sua dieta por umas 3 ou 4 semanas e ver se percebe algum alívio. Afinal de contas, o que se tem a perder? Na verdade, só a ganhar, pois um efeito colateral de eliminar o trigo é que você vai perder um pouco de gordura corporal.

Conclusão: Devemos eliminar ou reduzir trigo de nossa dieta?

Como você pôde ver nos 11 pontos principais que discutimos acima, há uma série de consequências negativas para a saúde quando se come muito trigo. Me senti pressionado para encontrar algum benefício de qualquer natureza em comer trigo.

Ter fibras pode ser o único benefício possível do trigo, no entanto, você pode facilmente obter mais fibras que o suficiente em sua dieta diária nas frutas, nozes e legumes, e sem os efeitos prejudiciais à saúde do trigo.

Então, você tem uma escolha neste momento: se você é do tipo de pessoa que faz de tudo para melhorar sua saúde e ter um corpo melhor, tanto na aparência quanto na saúde interna, eliminar o trigo é a sua melhor aposta.

Mas se você é como a maioria das pessoas, o pensamento de nunca mais comer cereais de trigo, pães, bolos, massas e biscoitos é muito difícil de aguentar. Se você é desse tipo de pessoa, você ainda pode colher os benefícios de reduzir o trigo em sua dieta, minimizando o seu consumo a uma vez por semana.

É de grande ajuda que apenas neste dia em que pode incluir seus produtos favoritos feitos com trigo, que você vá a restaurantes, para que mantenha todos os alimentos de trigo fora de sua casa e não seja tentado por eles durante a semana.

Lembre-se que um efeito colateral muito agradável de eliminar o trigo, pelo menos 6 dias por semana, é que a maioria das pessoas reduz significativamente sua gordura corporal depois de fazer essa escolha e aderir a ela.

E como nós já falamos neste artigo, reduzindo ou eliminando o trigo, podemos também evitar a acne, reduzir risco de doença cardíaca, retardar o processo de envelhecimento, reduzir os sintomas de SII ou refluxo ácido, ajudar a estabilizar o açúcar no sangue (supondo que você não esteja recebendo a carga de açúcar e trigo das comidas pouco nutritivas), reduzir o risco de diabetes, reduzir a gordura visceral em seu abdômen, e muito mais!

Considerando-se os possíveis benefícios para a nossa aparência e saúde, eu vou optar por continuar reduzindo o trigo em minha dieta! Particularmente, escolhi não eliminar completamente o trigo, mas nunca tê-lo em minha casa, e só consumir produtos com trigo uma vez por semana ou durante as férias.

Você quer um corpo mais saudável e mais bonito? A escolha é sua!

Embora ainda precisemos considerar os grandes “assassinos” de nossa saúde, como o açúcar, xarope de milho com alta quantidade de frutose, alimentos processados de soja, alimentos processados de milho, gorduras trans e outros alimentos pouco nutritivos, o fato é que o trigo é um dos maiores culpados por nossos problemas de saúde.

Não deixe de compartilhar esse artigo que mostra toda a verdade sobre o trigo!

 

Fonte e Referências:

Portal do Monstro

Por Mike Geary, Personal Trainer Certificado e Especialista em Nutrição
Autor dos Best Sellers: 101 Alimentos Antienvelhecimento & Cozinha Queima Gordura

Baixe Gratuitamente um E-book com 47 dicas de como Perder e Trincar o seu Abdômen em 47 dias! Clique em BAIXAR EBOOK!

Baixar Ebook
100% livre de spam.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Seja o primeiro a comentar!